19 de julho de 2016

trabalhar para viver


Para quem me pergunta se não quero fazer crescer o Grão da Terra, aumentar o volume de negócio, "empreender para crescer", e tantas outras questões, eu respondo: "Quero trabalhar para viver, e não viver para trabalhar". Neste pequeno filme está a resposta.

Paula

4 de junho de 2016

na busca da cor



Na busca da cor natural ... ... adoro esteva ... ... tomilho, e todas as ervas silvestres.
Da esquerda para a direita e de cima para baixo:
- montagem de plantas - para impressão - sobre tecido
- tecido impresso
- pormenor de impressão com plantas
- barras de sabão em bruto
- pormenor de impressão com plantas
Tecido impresso com esteva, urze, dente de leão, flores de esteva e outras duas da mesma família. Todas colhidas no pinhal e algumas utilizadas no fabrico do sabão.

Quem acompanha este blogue desde o inicio sabe que, acima de tudo, o que mais me apaixona são os ciclos da natureza e neles as ervas silvestres. Estas são apenas formas que encontrei de expressar essa minha paixão.

Continuo caminhando ...

31 de janeiro de 2016

24 de janeiro de 2016

a horta foi a minha "escola"






Foi na horta que iniciei esta parte do meu percurso de vida, quase 10 anos passados. Primeiro com hortícolas e ervas de cheiro comuns. Sem esquecer pelo meio, e porque sem uns não existem os outros e vice versa, os habitantes da horta, como o Trumbuctu (um gorgulho), que deu o nome a este blog, e a minha querida Estrela.

Só mais tarde alarguei horizontes e comecei a pousar o olhar sobre outras ervas, selvagens - aromáticas, medicinais e muitas delas comestíveis.

Foi de dentro para fora, como um desenrolar lento do corpo até me sentir mais ou menos de pé.

Paula

28 de novembro de 2015

de onde sopra o vento?


Em frente a vista da horta, e em breve um lindo campo de tremocilha, enquanto se vão feltrando luvas com sabão Grão da Terra.

Da horta para o jantar, ou pelo menos para uma parte dele.

Uma espiral de vida ascendente com beterrabas, alfaces e alho francês, com um moinho no centro para me fazer lembrar seguir na direcção em que o vento sopra, o caminho será de certo mais fácil.

Paula

24 de novembro de 2015

aquela que é ...



... aquela que é a minha verdadeira paixão, a terra.

"O essencial é invisível aos olhos."
Antoine de Saint-Exupéry

18 de novembro de 2015

se tens ...


Se tens:
terra para semear
água para regar
e braços para trabalhar
o que esperas para arregaçar as mangas?

Paula