28 de fevereiro de 2010

Bolota

✿ ✿ ✿

Hoje foi o dia da Bolota partir, uma cadelinha amorosa.
Não era nossa mas era próxima e fomos hoje enterrá-la, eu e R. Também tem lugar no Trumbuctu, onde a vida e a morte se cruzam. Contar como foi, agora, pouco interessa mas faz-me reflectir sobre a forma como hoje se lida com a morte.

Quando os meus avós morreram, era miúda, lembro-me bem como foi. A imagem deles, no caixão, ainda está presente, e mesmo os momentos (dias) que antecederam a morte. Morreram em casa, junto da família e o velório durou três dias. Estiveram sempre acompanhados. Partiram em alturas diferentes, primeiro o meu avô, depois a minha avó, mas partiram de igual forma. "Acompanhados".

Quando o meu irmão morreu não foi assim e faltou-me esse tempo.

Hoje. Hoje morre-se num dia e é-se enterrado no outro rapidamente, se não no próprio dia, depende da hora da morte. Quase nunca se morre em casa e os corpos são velados em lugares frios e sombrios. Ficam sozinhos durante a noite, porque já ninguém fica acordado a velar os seus mortos. Deixámos de ter esse tempo, o do primeiro luto, da despedida e de deixar o momento da morte fazer parte da vida.

Com o meu avô e com a minha avó foi diferente. Guardo sagradamente essa memória e agradeço, embora fosse pequena, terem-me permitido viver esses dias. Sempre que possível, quando algum Ser morre perto de mim procuro que seja assim.
✿ ✿ ✿

24 de fevereiro de 2010

23 de fevereiro de 2010

como prender garrafões de plástico...


[Actualização de 20.02.10] ..., que protegem as plantas jovens, para não voarem?
Como por aqui o processo de cultivo é um pouco diferente, estrume, cartão e palha, não fica terra para podermos enterrar os garrafões de plástico, que protegem as ervilhas. Várias vezes passei por um vizinho, aqui perto, e via que ele tinha os garrafões todos certinhos e sempre no mesmo lugar. Pensei cá para comigo: como tem a terra descoberta deve tê-los enterrados.

secar urtigas


Secar urtigas para fazer infusões e chorume durante o resto do ano, quando já não há. A urtiga deve ser apanhada antes de começar a florir pois é nessa altura que a planta é mais rica nos seus princípios activos. Normalmente deixamos secar em lugar resguardado e sombrio durante cerca de três semanas.

Propriedades: rica em sais minerais destacando-se o ferro, fósforo, magnésio, cálcio e silício; vitaminas como a A, C e K; ácido fórmico, tanino, entre outras.

Acção: essencialmente desintoxicante, anti-anémica e diúretica.

Infusão: cerca de 50grs de folhas secas ou 100grs de folhas verdes. Podem utilizar-se todas as partes da planta. Três chávenas de chá por dia e diz o bom senso não mais do que 10 dias.

Na sopa ou em saladas pode igualmente ser utilizada.

22 de fevereiro de 2010

Feijão verde rasteiro


Feijão verde rasteiro germinado

Sempre pensei que o feijão verde fosse todo de armar, este ano descobri que não. Como já é hábito, a Z. é que  me falou neste tipo de feijão. Coloca-o a germinar antes de o por na terra e deve ser semeado nesta altura. Lá fui a correr ao Sr. Zé Jacinto buscar sementes. Espero ter trazido das que ele semeia, nada de pacote.

Viveiro 2010


Meloa, abóbora hokaido, cebola, beringela, tomate, pimento, melancia, alfaces várias, chicória e coentros. Como tem chovido muito e o frio continua ficou tudo na estufa, mesmo os coentros e alfaces que não necessitariam. Em alguidar, tapados com plástico estão nabiças e mais cebola. Tudo para transplantar no final de Março.

Organizar a sementeira


Na esperança de não ter mais surpresas destas e saber o que tenho a fazer, na altura certa, o lema é organizar. O viveiro está pronto. Esperamos começar a transplantar lá para o fim de Março. Entretanto, este ano vamos semear as mesmas variedades ao longo de vários meses e esta caixa de sementeira é muito útil para quem não tem experiência.

Cenouras, tomates, pimentos, feijão, etc, terão a sua sementeira mensal até ser possível, prolongando as colheitas e maximizando as variedades hortícolas durante todo o ano.

Caixa de sementeira de My Tiny Plot via Kabaret Patafísico

21 de fevereiro de 2010

as árvores também choram


"As árvores também choram", disse-me a D. Noémia que veio cá no outro dia fazer uma enxertia nas ameixieiras. Achei linda esta a frase, ainda mais depois da explicação que ela deu. As enxertias devem ser feitas no período de repouso das árvores, quando a seiva ainda não corre, por esta altura do ano. Se for mais tarde, já perto da Primavera, a seiva em circulação brota e a árvore chora. Talvez por isso, nos passeios dados por aí, nunca tenha gostado de ver as feridas feitas nos troncos para se tirar a resina. Eram as árvores a chorar.

Cenouras


[Actualização de 01.02.10] As cenouras, semeadas com este método visto no Tiny Farm Blog, parece que ajudou a uma germinação mais rápida das plantas, 20 dias, e sem erva por perto. Vamos aguardar e ver o que vem por aí. Muita cenoura e pouca erva??

20 de fevereiro de 2010

Ervilhas


[Actualização de 14.11.10] As ervilhas já estão em flor, um dos poucos pés que sobreviveu ao frio e aos caracóis. Semeadas em Novembro levaram cerca de três meses para a primeira flor. Das sementes que nos deram não nasceu nada, só as de pacote, biológicas. Entretanto semeei mais desta qualidade mas ainda não nasceram.

cogumelos na horta


Muitos. Por todo o lado.
E a Primavera já se anuncia: pelo zumbido das abelhas, pelo voo e canto das andorinhas e por um frenesim oculto, latente, mas que se consegue sentir. A natureza não conhece calendários, felizmente.

16 de fevereiro de 2010

45 kg de batatas em 0,37 m2


photo by John Saul

Não estava tentada a semear batata, até porque é um legume que não consumimos muito, mas depois de ver este método e ao aperceber-me das suas importantes qualidades nutritivas, decidi-me. Com algumas tábuas, que devemos ter por aí, e assim que venha o sol ponho mãos à obra.

Material para uma caixa de batatas
12 tábuas com 0,05x0,15x0,60 cm (frente e costas)
12 tábuas com 0,05x0,15x0,50 cm (laterais)
4 tábuas com 0,05x0,55x0,75 cm (prumos)

Nota:  a melhor madeira, por demorar mais tempo a apodrecer é o pinho, cedro ou pau-brasil.  As medidas são aproximadas dado que tive de converter polegadas para centímetros. Não percebo porque não existe uma medida universal utilizada por todos.

9 de fevereiro de 2010

Mirtilo (Vaccinium virgatum)


Aos viajantes que passam por aqui:
Será que alguém sabe onde poderemos encontrar uma variedade de Mirtilo com o nome cientifico de Vaccinium virgatum? Julgamos que nos Açores é possível encontrar esta espécie. Alô, alguém dos Açores por aí?

Ficaríamos muito gratos.

8 de fevereiro de 2010

Que árvore é esta?


Estava no jardim. Foi para lá ainda pequena, mas tem crescido tanto e antes que ficasse maior transplantou-se para a orla do "bosque". Parece não ter sofrido com a mudança pois está muito bonita. Assemelha-se à árvore da borracha. Alguém poderá a ajudar-nos a identificar?

7 de fevereiro de 2010

Ervilhas


As ervilhas têm sido um festim para os caracóis e lesmas. O frio que tem feito e a falta de sol não têm ajudado ao seu desenvolvimento. Com paciência fomos tapando todos os pés de ervilha e os resultados já se notam (não tanto na foto). Protegidas por mini-estufas cresceram muito e as folhas ratadas pelos caracóis já quase desapareceram.

Aliás, a horta está super habitada: caracóis, lesmas, aranhas, grilos, minhocas (devido ao estrume). A boa notícia são a inúmeras rãs que por lá andam também e que se alimentam de alguns destes animais.

6 de fevereiro de 2010

Pallete House by I-Beam Design


Casa feita com paletes.
Protótipo construído pela I-Beam Design para a Achitecture Triennale em Milão - "Casa per Tutti", 2008 . Concebida como abrigo transitório para os refugiados do Kosovo, é uma resposta para situações de crise económica e politica, de catástrofes naturais, de guerra. Uma solução  económica, eficiente e fácil de realizar. O que mais se poderá construir com paletes??

Mais info (em inglês) e imagens aqui.

via Re-nest

Acelga brava


Sem certezas, acho que esta é uma acelga brava. Aqui está com algumas folhas manchadas do tal tom avermelhado que comentei aqui e muito encarquilhadas do frio, presumo. Se alguém souber e puder confirmar...

5 de fevereiro de 2010

chorume de urtiga


O chorume de urtiga é um dos melhores adubos e insecticidas naturais, não tóxicos para o ambiente. É através da fermentação que se obtém o preparado e o tempo que a urtiga fica a macerar depende do objectivo da sua aplicação.

Ingredientes:
1kg (10%) de urtigas frescas para 10L de água, de preferência da chuva ou 200/400grs (2% a 4%) de urtiga seca

Preparado:
Colocar as urtigas num recipiente de plástico com capacidade para 10L de água. Durante o dia deixar ao sol e tapar durante a noite. Se possível mexer de vez em quando.

Tempo:
Existem várias indicações quanto ao tempo de maceração das quais destaco: 1 a 2 dias para se utilizar puro, 4 a 5 dias, uma semana se o tempo estiver frio, para fermentar. Assim que começar a aparecer uma espuma branca o preparado está pronto.

Coa-se e pode ficar armazenado em lugar escuro durante uma ano. Os restos de urtiga podem ir para o compostor pois ajudam a acelerar a decomposição e à criação de húmus.

Aplicação:
Puro, por pulverização,  como insecticida
Diluído a 10% - 1L de chorume para 10L de água -como estimulante foliar
Diluído a 20% - 2L de chorume para 10L de água - como estimulante do solo e raízes

Curiosidades:
- Não utilize água da rede pois contém cloro e outros aditivos, a melhor é a da chuva.
- As urtigas que se encontram na beira da estrada absorvem o chumbo libertado pelos tubos de escape.
- O ano passado, depois de termos regado a horta com chorume, viu-se a olho nu como as plantas cresceram e ficaram mais verdes.

Este ano não seguimos à risca estas indicações mas o chorume ficou feito. Não há muitas urtigas, devemos ter utilizado cerca de 500grs para 15L de água da chuva pois era a que estava no bidão.

via Articles En Ligne e Bio Horta

3 de fevereiro de 2010

tremocilha+ervilhaca


[Actualização de 23.11.09]
A ervilhaca está bem desenvolvida, mais até do que a tremocilha.
Serão cortadas antes de florir, lá para inicio de Março, e serão utilizadas como adubo verde para as camas hortícolas.

2 de fevereiro de 2010

Fava roxa


Semear fava roxa ou preta, como fazem por aqui, deveria ter sido no mês de Outubro mas mais uma vez me baralhei, e só agora vi isso. É o que faz não planificar nem consultar o diário da horta!!
Agora deveria ter semeado a fava branca, com um mês de atraso mas a natureza não é assim tão rigorosa. Bom, talvez ainda semeie alguma...branca.

Fica o exemplo de como fazemos a sementeira por aqui. Uma das camas que já estava preparada com estrume foi regada, depois colocou-se cartão e jornal também ele "regado", depois a cama é coberta com palha. Para semear a fava, semente que permite este tipo de método, por ser grande, fura-se o cartão com um semeador e aconchega-se a semente.

Testei um método parecido com o que o Sr. Abel chama "semear fava à malandro", segundo o qual as favas são semeadas muito próximas. Ao crescerem, como ficam juntinhas, não tombam e permanecem direitas. O método consiste em abrir um rego que se percorre com um tubo de rega, grosso, através do qual se vão deitando as sementes. cobrindo-se depois com terra.

Não me vou esquecer disto porque as primeiras que semeámos estão quase todas tombadas.

Cemitério de pinhal


Costumávamos passear por aqui num caminho todo ele ladeado por pinheiros. Agora é assim, uma desolação. Tudo é impermanente, nós muitas vezes é que achamos o contrário. Não deixa de ser uma violência contra o ambiente e contra as espécies que aqui habitavam, aves principalmente.


Ainda assim a natureza não perde a sua capacidade de nos surpreender com criações magnificas, quer pela cor e quer pela forma: cogumelos.

clementinas e tangerinas


Chegaram em Janeiro, uma clementina (clementineira??) e uma tangerineira para preencher espaços vazios no pomar. Queremos diversificar as árvores de fruto e tentar ter fruta o ano todo. Por agora temos a dar fruto ao longo do ano laranjeiras, nespereiras, dióspireiro, tangerineira (já velhinha), limoeiro, ameixieiras e figueiras; sem nunca ter frutificado um castanheiro e pereiras e macieiras ainda muito novas para mostrarem os sue rebentos. Se estivessem todas a produzir fruta não faltaria.

1 de fevereiro de 2010

☀ ☀ ☀




Finalmente um dia de sol coincidente com a minha presença na horta.
Hoje foi dia de semear cenouras utilizando, pela primeira vez, a técnica com serapilheira que vi na Tiny Farm. Outra técnica que utilizamos é misturar as pequenas sementes da cenoura com areia, o que ajuda a não ficarem tão densas quando crescem. A cama já estava preparada, estrumada e tapada para evitar o aparecimento de erva. Aproveitaram-se três sacos de serapilheira, que não deu para tapar tudo, e os lado da cama taparam-se com cartão e palha, mais uma vez para evitar a erva que cresce pro todo o lado. Se tudo correr bem daqui a três semanas já estarão nascida, retirar-se-á a cobertura e pouca erva trá nascido. Estou curiosa para ver o resultado. Correndo bem penso fazer sementeira de cenoura todos os meses para conseguirmos ter cenoura o ano todo.

Re-semear


[actualização de 22.11.09]
Tivemos que fazer novo viveiro e semear tudo de novo. Nada do que foi semeado em Novembro resistiu ao frio e chuva que se fez sentir nos últimos meses. Desta vez vamos cobrir os vasos com sacos de plástico furados, como me sugeriu a Z., criando uma espécie de estufins. Poderá resultar também contra os ataques de caracóis.