7 de setembro de 2010

depois de caiada


Depois de caiada ficou assim. Branca, branca como só a luz do Alentejo 'pinta 'as casas. Para que a pintura fique mais impermeável à água da chuva e humidade existe uma alternativa ao sebo de carneiro, que se usava antigamente, o óleo de linhaça. Basta 1% de óleo, relativamente à quantidade de cal utilizada, para que não sejam afectadas as micro-estruturas da argamassa. Isto aplica-se à cal aérea simples (cal viva ou virgem). Nós seguimos a seguinte receita: para 8kg de cal 8 colheres de sopa de óleo e o óleo junta-se na altura de 'matar' a cal. Aplicar duas demãos A primeira mais diluída (com textura de leite) e a segunda um pouco mais espessa. A cal fornecida pelo município, a quem agradecemos esta iniciativa, é de excelente qualidade.



6 comentários :

Alziro Patafisico disse...

Que casa mais linda!

Trumbuctu disse...

";O)

NA disse...

Faz-me lembrar uma casa isolada que encontrei num passeio a Santiago do Cacém, há mais de 20 anos.
Abandonada, no seu interior conservava uma mesinha ainda com naperon.
As chaves das portas, antigas, grandes e completamente enferrujadas, encontrei-as distantes da casa e no meio da terra.
Preservo-as desde então. Servem para decorar e recordar aquela linda casa e o calor humano que provavelmente albergou nos seus tempos aureos.

Trumbuctu disse...

Esta também tinha uma mesinha de madeira, sem naperon ":O), mas que ainda cá está. Já lá vão 20 anos.

alexandre disse...

Gostei muito deste blog.
Tirei muita ideias e aprendi imendo.Ainda por cima também tenho um monte(sinho) nas Sobreiras Altas para onde me escapo sempre que posso.

Trumbuctu disse...

Então, somos vizinhos Alexandre. Gosto muito das Sobreiras Altas!
Volte sempre :)

Paula