14 de setembro de 2010

a porta


Voltei a reler um livro que há muito tinha deixado na prateleira - Guia da Meditação, de Paramananda - no dia a seguir a este post e logo na primeira página "A Porta", o relato sobre um homem atormentado por um sonho recorrente:

"(...) Ele encontra-se preso dentro de um quarto, incapaz de abrir a porta e fugir. procura a chave pelo quarto, mas nunca a consegue encontrar. Tenta com toda a sua força abrir a porta, mas esta não cede um milímetro. Não existe outra maneira de sair do quarto a não ser pela porta que ele não consegue abrir. Está encurralado e com medo. Numa sessão com o seu analista ele descreve este sonho, que atormenta o seu sono há anos. O analista ouve cuidadosamente o relato do sonho (...). Ele sugere que talvez a porta possa ser aberta na direcção oposta. Quando o homem volta a ter o mesmo sonho ele lembra-se da sugestão e descobre que a porta se abre para dentro sem a menor resistência. (...)"

Talvez eu só precise de ter confiança que o comboio vai passar - se passam para lá também devem passar para cá - ou que o melhor é sair da estação e apanhar um táxi. Pode ser que me lembre, se o voltar a sonhar.

2 comentários :

Alziro Patafisico disse...

O mundo é cheio de portas e janelas, mas é preciso abri-las sem medo.

Trumbuctu disse...

E perceber que às vezes abrem no sentido oposto ";O)