4 de setembro de 2010

dia aberto em Tamera


Hoje passámos o dia em Tamera. Percorremos caminhos para aprender formas de travar a desertificação do Alentejo, com Sepp Holzer. A recepção foi calorosa. Esperavam-nos sorrisos e um simpático pequeno almoço.


Um dos lagos de Tamera que se vê ao chegar.


O início, as boas vindas e algumas explicações preliminares.


As caldeiras das parreiras.



O principio do percurso. O grupo era tão grande que nós, do lado de cá do lago, víamos os outros já do outro lado.


Parámos à sombra de um sobreiro para ouvir falar sobre a importância dos lagos, de formas de captar água da chuva e de recriar novos biótopos. O sol estalava na pele.


Os espaços têm uma identidade própria.


Uma delicia de casa de banho seca.



Outra casa de banho seca. A arquitectura é verdadeiramente inspiradora.


De regresso, por outro percurso,...



... passamos por outra casa de banho seca. Mais uma vez a arquitectura, viva, orgânica. Apetece tocar.


Deixamos os sobreiros e azinheiras para trás e ...


... partimos para seguir o nosso caminho, de coração cheio.

3 comentários :

Alziro Patafisico disse...

Tudo muito lindo. Fotos magnificas. Adorei.

Trumbuctu disse...

Obrigada Júlio.
❀ ❀ ❀

João Cunha disse...

Também lá estive.
Foi pena não nos termos encontrado, mas ainda não a conheço pessoalmente.
Gostei bastante do dia em Tamera. Aprendi algumas coisas e espero aprender ainda mais, quando lá voltar.
É bom saber que as alternativas saltaram do papel e já estão aí em construção.
Saudações ecológicas.